sábado, 11 de junho de 2011

Após ser solto, bombeiro diz que ainda faltam as anistias criminal e administrativa



O cabo Benevenuto Daciolo, um dos líderes do movimento, foi um dos nove bombeiros liberados no fim da noite desta sexta-feira, e durante a madrugada ele concedeu uma entrevista. Daciolo agradeceu a população carioca e disse que eles (bombeiros) estarão sempre à disposição da população. "O que aconteceu foi só a liberdade, mas ainda faltam as anistias criminal e administrativa (da própria corporação)", declarou sobre a liberação dos presos. "O fundamental em primeiro lugar é o diálogo, que demorou a acontecer".

Os bombeiros ainda exigem o fim das gratificações, salários de R$ 2 mil, vale-transporte e reajuste anual.

Sobre a prisão dos 439 militares, ele afirma que não houve invasão ao Quartel Central da corporação. "Ninguém é covarde ou vândalo. E não houve invasão ou resistência", disse. "Ali tinham crianças e parentes dos bombeiros. Não houve dano ao patrimônio. Simplesmente nos 'aquartelamos', porque lá é o nosso lar".
"Quando o Bope e o Batalhão de Choque invadiram, foi um erro do governo. Poucos daqueles militares foram agressivos, mas os que foram envergonharam a farda", declarou.

O cabo ainda criticou o aumento de 6% proposto pelo governo e disse que vai deixar a própria população responder. "Peço que eles me ensinem a viver com 950 reais líquido", disse Benevenuto, que tem dois filhos.

Um comentário:

Sardella disse...

RIO - Se houverem procedimentos disciplinares, os mesmos serão considerados nulos
Recebemos esta mensagem do sr. Juarez Gama Filho que observou um fato muito importante para contribuir com a defesa técnica dos bombeiros, caso sejam instaurados procedimentos disciplinares em seu desfavor. Confira:

Quero advertir aos irmãos de farda que alertem aos bombeiros, aliás, especialmente a seus advogados, para verificarem na legislação disciplinar dos BMs do RJ (O Código Disciplinar), se consta do rol de punições a ADMOESTAÇÃO VERBAL OU MESMO ESCRITA. Se houver tal hipótese no Código Disciplinar, os irmãos bombeiros do Rio de Janeiro já foram todos punidos disciplinarmente exatamente quando o próprio governador de público os classificou de vândalos. Agora descabe qualquer outra punição disciplinar, eis que provavelmente (isto se houver tal previsão no código de disciplina) já foram punidos verbalmente pelo comandante-maior. Sim o próprio governador, a quem os BMs são subordinados já os puniu em nota, e verbalmente. Assim, meus amigos qualquer outra punição administrativa contra os irmãos BMs agora configura o chamado bis in idem, o seja a repetição da punição, caso seja instaurados processos disciplinares, como o Conselho de Disciplina, Conselho de Justificação, ou outros de menor monta, os defensores devem alegar de plano, tal situação, sob pena de serem punidos duas vezes pelo mesmo fato.
Alerto aos amigos, informem isto aos BMs do Rio de Janeiro, o governador possivelmente já os puniu, se houver no Código de Disciplinar dos BMs RJ, a previsão da admoestação verbal ou mesmo escrita como modalidade de punição.
Ajudem aos BMs, informem a eles e aos seus advogados.
Justiça social, Já!
Justiça salarial, Já!
Sou PM mas fiquei muito triste com as ações dos PM contra os irmãos BMs.
Sou o Primeiro-sargento Gama de Aracaju/SE.
Até a vitória!

Confiram o texto do RDCBMERJ (Regulamento Disciplinar)
Art. 23 - As punições disciplinares a que estão sujeitos os bombeiros-militares, segundo a classificação resultante do julgamento da transgressão, são as seguintes, em ordem de gravidade crescente:
1 - advertência;
...
Art. 24 - Advertência - é a forma mais branda de punir. consiste numa admoestação feita verbalmente
ao transgressor, podendo ser de caráter particular ou ostensivamente.
§ 1º - Quando ostensivamente, poderá ser na presenças de superior, no círculo de seus pares ou na
presença de toda ou parte da OBM.
§ 2º - Advertência, por ser verbal, não deve constar das alterações do punido, devendo, entretanto,
ser registrada em sua ficha disciplinar.

Postar um comentário