terça-feira, 14 de junho de 2011

Queremos a anistia:Não adianta ganhar R$ 5 mil e ter um amigo bombeiro preso

Anistia para os companheiros que estavam presos, retorno ao trabalho e um salário digno. Essas são as próximas medidas a serem adotadas pelo movimento dos bombeiros na negociação com o governo, segundo informou um dos líderes da categoria, o cabo Laércio Soares, nesta terça-feira.

"Queremos ter um salário digno, mas adianta só isso. Não adianta eu ganhar R$ 5 mil por mês e ter um companheiro meu preso - eu estaria preso com ele. Então queremos a anistia para os bombeiros que estavam presos, retornar ao trabalho em boas condições e ter o nosso salário, mas digno", disse o cabo Laércio.

Para o cabo Laércio, houve excesso de todos os lados no episódio de invasão do quartel central dos bombeiros, quando os 439 militares acabaram presos.

"Acho sim que nossa ação foi radical, mas necessária. Tínhamos um comandante que seguia os interesses da categoria e a invasão acabou sendo necessária para reivindicarmos o que está sendo apresentado. Posso dizer também que houve excesso por parte do governo, que permitiu a entrada do Bope com fuzis. Alguns companheiros recolheram cápsulas depois que tiros de fuzis foram disparados. Os PMs jogaram gás de pimenta nos olhos dos militares (bombeiros). Então, acho que houve excesso de todos os lados", completou.

Saúde, educação e segurança. Para Laércio, os grande eventos que o Rio pretende sediar nos próximos anos não terão êxito caso os três pilares da sociedade não apresentem desolvimento. O salário e melhores condições para os bombeiros, de acordo com o cabo, seriam fundamentais para este sucesso.

"Agradecemos ao comandante Simões pela ajuda que nos vêm dando, mas acredito que se os bombeiros não tiverem condições dignas de trabalho não teremos uma sociedade desenvolvida e, sem os três pilares sociais, jamais poderemos sediar eventos como Rock In Rio, Copa do Mundo e Olimpíadas", completou.

Fonte: odia.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário