terça-feira, 17 de abril de 2012

Policiais e bombeiros vão receber gratificação de bico oficial conforme a patente

O Regime Adicional de Serviço (RAS), novo sistema de bico criado para policiais civis e militares, bombeiros e inspetores de administração penitenciária trabalharem nos horários de folga com o aval do estado e ganharem gratificações, vai pagar os servidores de acordo com o cargo ou a graduação. Para cada um dos três turnos de trabalho previstos (seis, oito ou 12 horas), foram estabelecidos três valores de gratificação. Quanto mais alta a patente ou a função, maior será a bonificação. A diferença entre a gratificação menor e a maior é de 67%.
A distribuição ainda não foi oficializada, mas a expectativa inicial é que no nível C, o mais baixo, fiquem os praças da PM e do Corpo de Bombeiros, os inspetores da Polícia Civil e os inspetores penitenciários de 3ª classe. Para esse grupo, a bonificação por turno pode chegar a R$ 225.


Já o nível A, o mais elevado, o maior valor da gratificação será de R$ 375. Deverão receber esse valor os chamados oficiais superiores (coronéis, tenentes-coronéis e majores) da PM e dos Bombeiros, além dos delegados da Polícia Civil e os inspetores penitenciários de 1ª classe.
Assim, quem estiver no nível C poderá ganhar até R$ 2.250 mensais pelo RAS, valor possível apenas no mês de férias, quando se pode fazer até 10 turnos de 12 horas. Já os integrantes do nível A que trabalharem a mesma jornada no mês de férias vão receber R$ 3.750 de gratificação.
Apesar de o decreto criando o RAS ter sido publicado no último dia 4, ainda não há previsão de quando o regime vai começar a funcionar na prática. Segundo a Secretaria de Segurança, alguns detalhes ainda precisam ser determinados. Um deles é a maneira como as gratificações serão pagas: no mesmo contracheque do salário ou numa folha suplementar.
A Secretaria de Segurança informou ainda que, mesmo com a criação do RAS, o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), criado no ano passado para que PMs façam horas extras, não será extinto. Atualmente, 1.266 policiais participam do Proeis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário