domingo, 7 de outubro de 2012

Bombeiro trabalha mais, mas sem receber triênios

O bombeiro que quiser ficar mais tempo trabalhando, de acordo com a nova lei de aposentadoria da corporação, publicada ontem no Diário Oficial pelo governador Sérgio Cabral, poderá não receber os triênios (gratificações por tempo de serviço) relativos a esse período. Segundo a Associação de Ativos, Inativos e Pensionistas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros (Assinap), quem entrar na corporação com 20 anos de idade e sair aos 60, como prevê a nova regra, terá 40 anos de serviço, o que daria, na teoria, direito a 13 triênios. Mas o limite determinado por lei é de 11. A Secretaria estadual de Defesa Civil confirmou a existência do teto de 11 triênios, mas informou que o bombeiro nessa condição que opta por continuar trabalhando tem a oportunidade de obter promoções. Pela lei, é possível deixar a ativa após 30 anos de serviço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário