domingo, 27 de novembro de 2011

Oficias e Cadetes adere á greve dos PMs e Bombeiros

A situação da segurança pública do Maranhão, cada vez mais se complica. Os oficias e cadetes aderiram na tarde deste sábado, 26, a greve dos militares realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.
Após reunião entre os representantes dos oficias e cadetes, foi decidida a adesão ao movimento que já chega ao terceiro dia.
Ao chegar no Poder Legislativo, mais de 200 oficias e cadetes foram recebidos por grevistas e familiares com monção de aplausos desde a guarita da Assembleia.
Neste momento, os coronéis Ivaldo, Francisco Melo, os deputados Bira do Pindaré, Zé Carlos da Caixa e demais, estão reunidos na Sala das Comissões para tratar com o coronel do exercito que trabalha como um dos intermediadores.
Com a adesão dos oficias e cadetes da 1º, 2º e 3° turma, a greve dos PMs e Bombeiros se mantém cada vez mais fortalecida.

sábado, 26 de novembro de 2011

Depois da PM, Polícia Civil do Maranhão entrará em greve

Depois da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil do Maranhão vai entrar em greve a partir da próxima segunda-feira. Na ocasião acontecerá uma assembleia geral para referendar a decisão do sindicato da categoria, que reivindica a efetivação do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração (PCCR) elaborado em 2008 e até hoje não implantado pelo governo do estado.
- O governo prometeu que iria implantá-lo, mas ficou só na promessa e na enganação – explicou um dos diretores do Sindicato da Polícia Civil do Maranhão, Marcelo Penha.
Penha acredita que o movimento terá a adesão da grande maioria dos 2.150 agentes lotados no estado.
- A insatisfação é grande e assim como nossos companheiros da Polícia Militar nós vamos parar até que seja implantado o nosso PCCR – avisou.
A situação da segurança pública no Maranhão ainda se agrava com a greve dos delegados da Polícia Civil deflagrada na última segunda-feira também pelo não cumprimento de uma promessa feita pela governadora Roseana Sarney de incluir a categoria no rol das carreiras jurídicas do Estado.
Diante da situação, o governo do Estado conseguiu reforço das tropas da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) de Alagoas e Brasília, além de soldados do Exército, Marinha e Aeronáutica. O comandante da 24º Batalhão de Caçadores, tenente-coronel Flávio Peregrino confirmou que o Exército está com 650 homens fazendo o policiamento no Maranhão, 400 do próprio estado e outros 250 vindos do Piauí.
Acampados na Assembleia Legislativa desde a noite de quarta-feira, os policiais militares e bombeiros, em greve pelo reajuste de 30% nos vencimentos, continuam dispostos a não ceder à pressão do governo. Depois que o movimento foi declarado ilegal pela Justiça, com multa diária de R$ 200 descontados da remuneração de cada militar em greve, o governo do estado requereu ao Ministério Público Militar a prisão dos líderes do movimento.
- Mandar prender um trabalhador que reivindica seus direitos e melhores condições de trabalho para oferecer um serviço de qualidade para a sociedade é uma injustiça – lamentou o cabo Campos, um dos que podem ter a prisão decretada pela Justiça Militar.
- Eles vão ter que prender todo mundo que está aqui, pois estamos unidos – garantiu.
O clima na Assembleia é tenso e os policiais prometem resistir a qualquer tentativa de “invasão” para prender os comandantes da greve.
Pela manhã, eles expulsaram três homens que estavam filmando o acampamento por desconfiarem que eles eram espiões do Exército. O comandante do 24º Batalhão de Caçadores disse que não tem conhecimento dessa “operação”, e que vai mandar apurar o caso.
Em coletiva de imprensa realizada no final da manhã, o secretário de segurança Aluísio Mendes avisou que o governo só negocia com os policiais após o fim do movimento.

Parabéns e força aos companheiros do Maranhão e que sirva de exemplo para o restante do país.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Proposta de redução do interstício para promoção por tempo de serviço para o CBMERJ e PMERJ

A proposta para redução do interstício de autoria do Deputado Zaqueu Teixeira foi enviada ao Governador Sergio Cabral para que possa virar ou não lei ,pela proposta os Bombeiros e Policiais iriam ser promovidos da seguinte forma:

EXTRAÍDA DO DIÁRIO OFICIAL DE 31/10/2011, PROMOÇÃO POR TEMPO DE SERVIÇO PMERJ E CBMERJ.


- 06 ANOS - CABO
- 12 ANOS - 3º SGT
- 16 ANOS - 2º SGT
- 20 ANOS - 1º SGT
- 25 ANOS - SUBTEN

INDICAÇÃO LEGISLATIVA Nº. 75, DE 2011

Texto Original: http://solatelie.com/cfap/cfappmerj/indicacao_legislativa_75_2011.pdf

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

PM do Rio Grande do Norte aprova subsídio e ganha aumento salarial

Após mobilizar-se em torno de uma reivindicação salarial nos termos “polícia legal”, os policiais militares do Rio Grande do Norte (PMRN), representados por suas associações, chegaram a um acordo com o governo do estado, e conseguiram aprovar uma nova tabela salarial, em forma de subsídio, extinguindo assim gratificações, auxílios e demais penduricalhos no salário dos policiais militares.

Abaixo, a tabela proposta:

De acordo com a nova proposta, os Soldados PM receberão 20% do subsídio concedido ao Coronel PM, de modo que sempre que o salário de um posto ou graduação aumentar, obrigatoriamente, os demais graus hierárquicos também serão contemplados com o reajuste. Parabéns aos policiais militares potiguares pela evolução, que se não é perfeita, é um passo à frente em relação a outras instituições que se encontram desmobilizadas e caladas, convivendo passivamente com a desmotivação e desvalorização.

sábado, 5 de novembro de 2011

Por telefone, bombeiro ajuda mãe a salvar criança que se afogou em MS

O soldado Wagner Alexandre Gomes Lindemayer, do Corpo de Bombeiros, orientou por telefone a mãe de um menino de um ano e sete meses de idade que havia se afogado em uma piscina. O caso aconteceu na tarde de sexta-feira (4) em Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande.
Segundo o soldado, a mãe telefonou para a central de emergência dizendo que seu filho estava desacordado. “Primeiro, falei para ela colocá-lo de cabeça para baixo, para que o líquido escorresse, mas não adiantou. Então disse para ela fazer uma respiração artificial. Logo em seguida, escutei pelo telefone o choro da criança”, relata.
Apesar de ter recebido treinamento para esse tipo de situação, Lindemayer diz que ficou um pouco nervoso. “É uma vida que está em jogo. A alegria é sem comparação quando conseguimos salvar a pessoa”, disse. Enquanto orientava a mãe, o bombeiro havia encaminhado uma viatura ao local do afogamento. Os socorristas chegaram minutos depois e levaram a vítima a um hospital.
A mãe da criança, Natália Alves de Lima, de 23 anos, conta que não percebeu quando o filho caiu na água. Ela explica que a piscina fica em uma área isolada do local onde estavam, mas a grade de segurança estava aberta. Foram momentos de angústia, segundo Natália.
“A gente vê nosso filho quase morto nos braços, não é nada fácil. Lembrei de uma reportagem onde uma mãe pediu socorro pelo telefone e salvou seu filho que tinha engasgado, e pensei que se eu entrasse em pânico, não ia ajudar”, afirmou.
De acordo com a mãe, a criança ficou internada e teve alta na manhã deste sábado (5). “Graças a Deus não teve nenhuma sequela. Ele está bem, brincando, comendo normalmente”, disse.